Serviço Farmacêutico

A missão dos serviços farmacêuticos do HGO consiste na prestação de cuidados de saúde no âmbito dos produtos farmacêuticos, procurando a melhoria contínua dos cuidados prestados aos doentes.

No âmbito da política do medicamento e gestão do seu circuito a sua ação centra-se na:

  • Racionalização do uso do medicamento, através da utilização custo-efetiva das opções terapêuticas disponíveis;
  • Garantia de disponibilidade do medicamento certo, ao doente certo no momento certo;
  • Minimização do erro e maximizar a segurança do doente;
  • Disponibilização de informação e apoio aos serviços clínicos, na área do medicamento;
  • Monitorização do uso do medicamento;
  • Garantia da melhor utilização dos recursos financeiros.

Os Serviços Farmacêuticos desenvolvem a sua atividade no âmbito das seguintes unidades funcionais:

  • Seleção, aquisição e armazenamento de produtos farmacêuticos;
  • Informação do medicamento;
  • Distribuição;
  • Medicamentos experimentais;
  • Rádio-farmácia;
  • Preparação (farmacotecnia e citostáticos);
  • Farmacovigilância;
  • Farmacocinética;
  • Farmácia clínica.

 

Equipa:

  • Dr. Armando Alcobia, Diretor de Serviço
  • Téc. João Caetano, Técnico Coordenador
  • Dr. Arménio Neves, Administrador

 

Contactos:

Telefone: 212 727 246

E-mail: farmacia@hgo.min-saude.pt

 

Serviço de Esterilização

O Serviço de Esterilização Centralizada realiza de forma centralizada, para todos os serviços do Hospital, as atividades inerentes ao reprocessamento global dos dispositivos médicos reutilizáveis.

O Serviço de Esterilização Centralizada é coordenado por um enfermeiro chefe e assegura as seguintes funcionalidades:

O reprocessamento de todos os dispositivos médicos reutilizáveis necessários à prestação de cuidados, em conformidade com as normas em vigor, garantindo a qualidade técnica e a otimização dos recursos;
Os requisitos de qualidade;
A prática de um sistema de informação, baseado em suportes orientados para a avaliação do desempenho, em termos de qualidade e de custo/benefício;
Colaboração com estabelecimentos de ensino e outros, bem como na formação interna dos profissionais de saúde na área do reprocessamento de dispositivos médicos.

O Serviço de Esterilização do HGO, no passado dia 08 de Novembro de 2019, viu garantidas pela APCER – Associação Portuguesa de Certificação, a manutenção da Certificação do seu Sistema de Gestão da Qualidade, no âmbito da norma NP EN ISO 9001:2015, e a concessão da transição da certificação para NP EN ISO 13485:2017 – Dispositivos Médicos-Sistemas de Gestão da qualidade/Requisitos para fins regulamentares, válidas até abril de 2021 e março de 2022, respetivamente.

Certificado APCER 2018-2021

Certificado APCER 2017

 

Contactos:

Telefone: 212 727 243

E-mail: secretariado.esterilizacao@hgo.min-saude.pt

Serviço Social

É missão do HGO prestar cuidados de saúde diferenciados, em quase todas as especialidades, à população dos concelhos de Almada e Seixal, cabendo ao Serviço Social a dimensão social, económica e cultural dos cuidados hospitalares.

O Serviço Social, no campo da saúde, concebe, organiza e presta cuidados do âmbito social, focalizando a intervenção no relacionamento das pessoas com meio que as rodeia, nas diferentes fases do ciclo da vida.

O Serviço Social procura promover a transversalidade dos diversos níveis de prestação de cuidados: promoção da saúde; prevenção primária e secundária da doença; investigação; tratamento e reabilitação; com vista à promoção da recuperação do bem-estar e da qualidade de vida.

O Assistente Social, na sua praxis, age de acordo com os seguintes objetivos gerais:

  • Promover a autonomia e bem-estar do doente;
  • Proceder à análise social das capacidades, pontos de resistência e condições psicossociais do indivíduo, família e grupos no seu contexto sociocultural;
  • Promover informação adequada, reforçando os direitos e deveres do utente, no intuito da referenciação qualificada ou do acompanhamento psicossocial;
  • Analisar, selecionar, elaborar e registar informação no âmbito da atuação psicossocial;
  • Consultar, colaborar e articular com os profissionais internos e externos e organizações de parceria;
  • Rentabilizar os recursos individuais, familiares, institucionais e comunitários;
  • Fomentar a qualidade e a humanização dos cuidados de saúde, contribuindo para o respeito do utente como pessoa e incentivando a generalização dessa atitude a todo o pessoal hospitalar.

O Serviço Social é um ramo profissional específico, com métodos e técnicas próprias, que tem como principal objetivo ajudar a minorar os problemas psicossociais que possam dificultar o tratamento, cura e reabilitação dos doentes, assim como a sua reintegração após alta hospitalar.

O Serviço Social do HGO constitui-se como serviço dotado de autonomia técnica e organização próprias, dependendo hierarquicamente do Conselho de Administração, estando integrado na área funcional de suporte à prestação de cuidados.

A equipa de Serviço Social desenvolve a sua intervenção a vários níveis:

  • Serviços de internamento – Acolhimento do doente/família, estudo diagnóstico, coordenação e mobilização de recursos com vista ao encaminhamento das situações;
  • Serviços de urgência – Atendimento personalizado ao doente/família, estudo diagnóstico, coordenação e mobilização de recursos com vista ao encaminhamento das situações;
  • Ambulatório – procura de respostas com carácter multidimensional (que respondam às diferentes dimensões do problema) em articulação com outros técnicos que intervenham na mesma situação problema, através da concertação de estratégias, quer a nível do diagnóstico, quer na definição do projeto de intervenção individual e/ou familiar;
  • Participação em Grupos de Trabalho Multidisciplinar.

 

Equipa:

  • Dra. Benedita Nunes, Diretor de Serviço
  • Dr. Arménio Neves, Administrador

 

Contactos:

Telefone: 212 736 727

E-mail: servico.social@hgo.min-saude.pt

Serviço de Nutrição

O Serviço de Nutrição (SN) é um serviço de apoio técnico à prestação de cuidados de saúde, transversal a toda a Instituição, desenvolvendo o trabalho em equipa com os restantes serviços, assente num modelo de integração de cuidados.

O SN tem como missão desenvolver funções de análise, diagnóstico, orientação, intervenção e monitorização da alimentação e nutrição, quanto à sua adequação, qualidade, segurança e sustentabilidade, em indivíduos ou em grupos, na comunidade ou em instituições, tendo por objetivo máximo a promoção da saúde e do bem-estar e a prevenção e tratamento da doença, de acordo com a evidência científica, em constante evolução.

A sua atividade é regulada pela Ordem dos Nutricionistas, regendo-se estes profissionais pelo seu Código Deontológico. O Nutricionista intervém nas áreas da nutrição clínica, nutrição comunitária e saúde pública, planeamento e gestão da alimentação e nutrição Institucional, ensino, formação, investigação e assessoria científica.

O SN do Hospital Garcia de Orta (HGO) é composto por seis (6) Nutricionistas e a sua intervenção é efetuada nas seguintes áreas:

 

Internamento

O Nutricionista é um profissional de saúde, com uma intervenção interdisciplinar, que dirige a sua ação para a salvaguarda da saúde humana através da promoção da saúde, prevenção e tratamento da doença pela avaliação, diagnóstico, prescrição e intervenção nutricional. Nos serviços de Internamento, exerce a sua atividade clínica em paridade e articulação com os outros profissionais.

O Nutricionista procede à Avaliação do Risco Nutricional, nos doentes internados por um período superior a 24h. Aplicando os questionários validados e recomendados, o Nutritional Risk Screening 2002 (NRS 2002) em adultos e o STRONGKids, para idades inferiores aos 18 anos.

O Nutricionista desenvolve a sua atividade baseada no modelo Nutrition Care Process (NCP), referência mundial na prestação de Cuidados Nutricionais. O NCP consiste em quatro etapas: avaliação, diagnóstico nutricional, intervenção e monitorização/avaliação de resultados. Sempre que o doente apresente risco nutricional, deve ser realizada a avaliação do seu estado nutricional, estabelecido o diagnóstico nutricional, definida a intervenção nutricional e procede-se à respetiva monitorização, em articulação com a equipa multidisciplinar responsável pelo internamento do doente. A intervenção nutricional também tem em conta as convicções culturais, filosóficas e religiosas dos doentes.

Sempre que se justifique, o Nutricionista efetua ensino alimentar ao doente e sua família/cuidadores, aquando a alta hospitalar, de modo a seguir, em ambulatório, a terapêutica nutricional instituída durante o internamento.

O Nutricionista integra de forma ativa as equipas multidisciplinares, participando nas visitas e sessões clínicas dos respetivos serviços.

 

Consultas Externas

O SN efetua dois tipos de consultas externas, as consultas de Nutrição e Dietética, onde recebe pedidos de todas as especialidades do hospital, e as consultas multidisciplinares.

Na Consulta Externa, o Nutricionista é responsável pela realização de consultas com o objetivo da otimização nutricional dos utentes, de acordo com a sua patologia e/ou sintomatologia. Elabora o diagnóstico nutricional, com base nos dados clínicos, antropométricos, bioquímicos e alimentares e prescreve a terapêutica nutricional.

 

Controlo do Fornecimento de alimentação

Na área da restauração coletiva, o Nutricionista tem as competências necessárias para supervisionar todos os procedimentos, desde a produção até ao consumidor final, programando e executando auditorias higio-sanitárias e auditorias da qualidade através da verificação do cumprimento dos procedimentos estabelecidos. Desenvolve e implementa sistemas de gestão da qualidade com o objetivo de avaliar e garantir a melhoria contínua do fornecimento de alimentação aos doentes e profissionais do HGO.

 

Ensino e Investigação

O SN colabora com diversas Instituições de ensino, na formação de Nutricionistas e em formação pós-graduada.

Participa na formação específica da área de nutrição e dietética, destinada a funcionários da Instituição.

Participa em programas de educação para a saúde, promovendo a literacia em saúde na comunidade envolvente.

Ao longo dos anos o SN tem participado em trabalhos de investigação clínica e de saúde pública. Os diferentes elementos do SN também realizam e apresentam diversos trabalhos em reuniões científicas e congressos.

 

Outros

Sempre que necessário, os elementos do SN participam na elaboração de protocolos e/ou formulários nutricionais e dietéticos.

O serviço elabora também a parte técnica do Caderno de Encargos para fornecimento de alimentação a doentes e profissionais.

O SN participa em júri de concursos para fornecimento de alimentação a doentes e funcionários da Instituição.

O SN colabora ainda na elaboração de projetos de construção/remodelação do Serviço de Alimentação, bem como na programação e na escolha de material e equipamento para o mesmo.

 

Equipa:

  • Téc. Anabela Almeida, Técnico Coordenador
  • Dra. Alexandra Santos, Administrador

 

Contactos:

Telefone: 212 726 844

E-mail: nutricao@hgo.min-saude.pt

Psicologia

O Serviço de Psicologia (SP) tem como missão prestar cuidados de Psicologia com elevados níveis de qualidade, tendo sempre em consideração a eficiência, a eficácia e a equidade.

O SP desenvolve a sua atividade em articulação com os restantes serviços hospitalares e demais especialidades (médicas e não médicas), numa perspetiva de cuidados de saúde integrados.

A análise das necessidades de saúde psicológica dos utentes deverá ser realizada pelo SP, respeitando as características demográficas, sociais e clínicas das populações a que presta serviço.

O SP é dotado de autonomia científica, técnica e funcional e deverá ser integrado no organigrama da instituição, respeitando, deste modo, as normas internas e as suas regras de funcionamento. A organização e funcionamento da instituição não poderão colidir com a autonomia da Psicologia. No exercício das suas funções e de acordo com a dinâmica institucional, o SP deverá estar representado, participar e cooperar em estruturas da organização.

O SP deve implementar os princípios da governação clínica e de saúde da Psicologia, nomeadamente: basear as intervenções psicológicas na melhor evidência científica disponível, monitorar e auditar a efetividade das intervenções psicológicas, promover a investigação, desenvolver o trabalho em equipa e promover a formação profissional contínua dos psicólogos.

O SP rege-se pelos seguintes princípios orientadores:

  • Assegurar adequadas competências e qualificações dos psicólogos.
  • Contribuir para uma gestão eficaz e eficiente dos recursos humanos e materiais.
  • Salvaguardar e sublinhar o contributo diferenciador e identitário da profissão e da Psicologia Clínica e da Saúde, enquanto especialidade inserida em equipas multidisciplinares de prestação de cuidados de saúde de excelência.
  • Garantir o cumprimento dos normativos éticos e deontológicos legalmente vigentes para o exercício da profissão.
  • Delinear/adotar protocolos e programas de intervenção inovadores, de acordo com a evidência científica e as melhores práticas.
  • Uniformizar os procedimentos administrativos específicos da Psicologia.
  • Agilizar e promover a articulação intra e interpares em prol do melhor interesse dos utentes.
  • Participar e contribuir para as dinâmicas institucionais.
  • Fomentar e desenvolver a intervisão, supervisão e formação contínua dos psicólogos.
  • Valorizar a participação em atividades de docência, investigação e formação. Aferir a adequabilidade do perfil de competências afetas a cada a cada área clínica.

O SP é composto por 5 Equipas que abarcam todos os psicólogos que exercem funções no HGO, bem como psicólogos estagiários (profissionais e académicos):

  1. Equipa de Saúde Mental do Adulto: Exerce atividade, pela sua especificidade, no Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental, em estreita articulação com os psiquiatras do serviço.
  2. Equipa de Saúde Mental da Infância e da Adolescência: Exerce atividade, pela sua especificidade, no Serviço de Pedopsiquiatria, em estreita articulação com os pedopsiquiatras do serviço.
  3. Equipa de Psicologia de Desenvolvimento da Criança: Exerce atividade, pela sua especificidade, no Centro de Desenvolvimento da Criança, em estreita articulação com os médicos do serviço.
  4. Equipa de Neuropsicologia: Exerce atividade, pela sua especificidade, no Serviço de Neurologia. Dá resposta aos pedidos de avaliações neuropsicológicas e de consultas do serviço, bem como aos pedidos de avaliações neuropsicológicas dos outros serviços.
  5. Equipa de Psicologia da Saúde: Dá apoio a todos os serviços e Unidades Hospitalares:

 

  • Psicologia de Ligação: presta assistência aos doentes internados nos serviços. Trabalha, pela sua especificidade, em estreita articulação com a Psiquiatria de Ligação do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental. Dá resposta aos pedidos de consulta dos seguintes serviços: Serviço de Otorrinolaringologia, Serviço de Neurocirurgia; Serviço de Hemato Oncologia, Serviço de Gastroenterologia; Serviço de Obstetrícia; Serviço de Urologia, Serviço de Endocrinologia, Serviço de Cirurgia I e II, Serviço de Cardiologia, Serviço de Cirurgia Plástica, Serviço de Cirurgia vascular, Serviço de Dermatologia, Serviço de Ginecologia, Serviço de Puérperas, Serviço de Reumatologia, Serviço de Grávidas, Serviço de Maxilo Facial, Serviço de Medicina I, II, III, IV, V, Serviço de nefrologia, Serviço de Neurocirurgia I e II, Serviço de Oftalmologia, Serviço de Orto traumatologia I e II, Serviço de Urologia, UCI de Cirurgia, UCI de Neurocirurgia, UCIM, UCINT, UCIP, UIMC, UCC, UMD.
  • Unidade da Dor: a intervenção psicológica é realizada em estreita articulação com os médicos e enfermeiros do serviço.
  • Serviço de Infecciologia: a intervenção psicológica é realizada em estreita articulação com os médicos do serviço.
  • Serviço de Saúde Ocupacional: a intervenção psicológica é realizada em estreita articulação com a diretora de serviço.
  • Equipa Intra Hospitalar de Suporte em Cuidados Paliativos (EIHSCP): a intervenção psicológica é realizada numa perspetiva multidisciplinar.

 

Competências do SP:

  • Realizar consulta psicológica, individual ou em grupo.
  • Realizar avaliações psicológicas, diagnóstico e estudo psicológico de indivíduos, grupos ou comunidades.
  • Realizar programas e atividades de educação para a saúde.
  • Identificar, planear e contratualizar serviços de psicologia com as outras Unidades e Serviços da instituição.
  • Realizar psicoterapias individuais, de grupo, de família e de casal.
  • Identificar equipamento e instrumentos de trabalho específicos da Psicologia, devidamente adaptados e validados para a população portuguesa.
  • Elaborar pareceres e relatórios periciais.
  • Colaborar com o Conselho de Administração, e contribuir para a melhoria contínua da instituição.
  • Contribuir para a formação académica e profissional em Psicologia.
  • Integrar comissões e grupos de trabalho de âmbito institucional.
  • Responsabilizar-se pela escolha, administração e utilização do equipamento técnico e dos instrumentos específicos de Psicologia.
  • Desenvolver e participar em projetos de investigação e/ou formação, nomeadamente em áreas que envolvem o comportamento individual ou em grupo.
  • Organizar ações de formação na área da Psicologia em estreita colaboração com os serviços da instituição.
  • Colaborar na realização de ações de formação, em articulação com outros serviços e especialidades.
  • Articular a sua ação com outras áreas, tais como: cuidados de saúde primários, segurança social, justiça e sistema educativo, de modo a efetuar um correto diagnóstico e intervenções psicológicas mais adequadas às situações, através de sinergias e protocolos de articulação.

O Serviço de Psicologia é um serviço clínico, transversal a toda a instituição, desenvolvendo a sua atividade em articulação com todos os serviços, assente num modelo de integração de cuidados, que sustente a prestação dos cuidados de saúde mental à população

 

Equipa:

  • Dra. Cláudia Lopes, Diretor de Serviço
  • Dra. Alexandra Santos, Administrador