Anatomia Patológica

Anatomia Patológica é a especialidade médica que se dedica ao diagnóstico de doenças através do exame macroscópico e microscópico de tecidos, órgãos e fluidos corporais.

Quais os cuidados de saúde prestados e as áreas de atividade do Serviço de Anatomia Patológica?

Diagnósticos anatomo-patológicos nas áreas da autópsia, histologia e citologia.

O Serviço desenvolve ainda atividades de formação de médicos especialistas de Anatomia Patológica e de outras especialidades, bem como de Técnicos de Anatomia Patológica.

O Serviço de Anatomia Patológica efetua os seguintes exames:

  • Exames Histológicos;
  • Autópsias;
  • Imunohistoquímica;
  • Exames Citológicos.

Equipa:

  • Dra. Maria José Brito, Diretor de Serviço
  • Téc. Ana Coias Miranda, Técnica Coordenadora
  • Dr. António Martins, Administrador

Contactos:
Telefone: 212 727 223
E-mail: secretariado.anatomia@hgo.min-saude.pt

Radiologia

Radiologia é a especialidade médica que se dedica ao diagnóstico e tratamento através da utilização de imagens obtidas usando radiação ionizante (radiografia, tomografia computorizada, mamografia), ultrassons (ecografia) ou radiofrequência (ressonância magnética).

Quais os cuidados de saúde prestados e as áreas de atividade do Serviço de Radiologia?

  • Radiologia Convencional;
  • Ecografia;
  • Tomografia Axial Computorizada (TAC);
  • Ressonância Magnética;
  • Angiografia;
  • Senologia;
  • Osteodensitometria.

O Serviço tem como missão dar resposta hospitalar aos exames de diagnóstico pela Imagem na área de Corpo, solicitadas pelo Internamento, Urgências e Consulta Externa do HGO, segundo a Diretiva Europeia 97/43 Euratom e o Manual de Boas Práticas.

Tem igualmente como Missão promover as boas práticas no âmbito da requisição de exames que utilizam radiações ionizantes, apostando na qualidade e aferimento diagnóstico dos exames efetuados no Serviço.

Promove também a formação de Internos de Radiologia e outras especialidades com estágio na área de Diagnóstico pela Imagem.

O Serviço de Radiologia tem como visão responder de forma atempada às solicitações dos diferentes Serviços que compõem a vertente assistencial desta Instituição. Como perspetiva, futura colaboração com outras entidades locais de saúde a nível de cuidados primários e secundários.

Desenvolve a sua atividade tendo em conta os seguintes valores: prestação de serviço público de qualidade; manutenção de equipa coesa e polivalente; preservação da cultura hospitalar na área de diagnóstico; promoção da segurança, nomeadamente na área de radioproteção; exigência de rigor e competência; organização e liderança partilhadas; observância da deontologia e da ética.

O Serviço de Radiologia encontra-se funcionalmente agrupado em sete áreas correspondendo às Técnicas de Diagnóstico existentes:

  1. Radiologia Convencional: 4 Salas, duas para Serviço Geral (RX Torax, osteo-articular, abdómen) e outras duas com mesa basculante e fluoroscopia, onde se efetuam digestivos, exames urológicos, e que igualmente dão apoio a Especialidades afins como Gastroenterologia (CPRE,CPT), Ginecologia (Histerosalpingografias). Dispõe ainda de dois equipamentos de RX portáteis para doentes intransportáveis, e ainda de equipamentos e fluoroscopia para apoio ao Bloco Operatório.
  2. Ecografia: 2 Salas, uma destinada à Urgência e Internamento e a outra para doentes externos, e onde são efetuados todos os exames ecográficos da área de Corpo, assim como EcoDopplers e atos de intervenção ecoguiados.
  3. Tomografia Axial Computorizada (TAC): 2 Salas, 1 dedicada à Urgência e Internamento, a funcionar 24 horas/dia, equipada com TC multicorte de 16 cortes, e a outra com TC de 4 cortes, que dá resposta à Consulta Externa.
  4. Ressonância Magnética: 1 sala com equipamento de 1,5 Tesla, onde são efetuados todos os exames RM da área de Corpo.
  5. Angiografia: Equipada com um angiógrafo digital, com utilização multidisciplinar no âmbito do diagnóstico e intervenção, e integrada na valência de Hemodinâmica.
  6. Senologia: Área dedicada ao diagnóstico da patologia mamária, especialmente vocacionada para aferimento diagnóstico de apoio à consulta de Patologia mamária do HGO, e que dispõe de espaço dedicado, com 1 Sala com mamógrafo digital de campo completo, com equipamento de estereotaxia digital para as intervenções, 1 Sala com ecógrafo com sonda de partes moles, aferido para o diagnóstico e intervenção mamária, estação de leitura mamográfica dedicada, com envio das Imagens para a rede Hospitalar.
  7. Osteodensitometria: Em fase de implementação, irá completar a oferta do Serviço de Imagiologia em termos de caracterização da população osteoporótica.

Equipa:

  • Dr. Afonso Nuno Vieira Rodrigues Gonçalves, Diretor de Serviço
  • Téc. João Eduardo P. Carrapiço, Técnico Coordenador
  • Dr. António Martins, Administrador

Contactos:
Telefone: 212 727 253
E-mail: secretariado.radiologia@hgo.min-saude.pt

Neurorradiologia

Neurorradiologia é a especialidade médica dedicada à realização de meios complementares de diagnóstico e de terapêutica no âmbito do Sistema Nervoso Central (SNC).

A maior parte da atividade da Neurorradiologia é dedicada ao estudo diagnóstico por tomografia computadorizada (TC), por ressonância magnética (RM) e por angiografia do encéfalo, cervical e do ráquis, executando os exames e posteriormente os respetivos relatórios.

A Neurorradiologia de Intervenção é uma outra vertente de especialidade que consiste no tratamento percutâneo de lesões do SNC, na maior parte das vezes por via endovascular e em doentes com malformações arteriovenosas e aneurismas intra-cranianos. A especialidade trata também casos de patologia vascular oclusiva e de tumores hipervascularizados.

É o único Serviço da especialidade a Sul do Tejo.

A população alvo tem sido maioritariamente o grupo de utentes do Hospital Garcia de Orta, EPE, e, como tal, a população de referência deste. Considerando o facto de ter desenvolvido uma valência de referência, a terapêutica endovascular, tem igualmente como missão responder a solicitações provenientes de outros Hospitais.

Quais os cuidados de saúde prestados e as áreas de atividade do Serviço de Neurorradiologia

  • Tomografia Computorizada;
  • Ressonância Magnética;
  • Ecodoppler;
  • Angiografia Diagnóstica e Terapêutica;
  • Consulta de Neurorradiologia de Intervenção.

Para além da área assistencial, o Serviço desenvolve ainda atividades de formação pré e pós-graduada e de investigação.

 

Equipa:

  • Dra. Ana Cristina Rios, Diretor de Serviço
  • Téc. Cristina Menezes, Técnico Coordenador
  • Dr. António Martins, Administrador

Contactos:
Telefone: 212 727 183 | 212 726 857
E-mail: secretariado.neurorradiologia@hgo.min-saude.pt

Medicina Tranfusional (Dádivas de Sangue)

O Serviço de Medicina Transfusional iniciou a sua atividade em 1991, intitulado à data de Serviço de Imunohemoterapia (especialidade médica que se dedica ao tratamento de doenças através da utilização de sangue ou derivados). O Serviço tem como missão a promoção da dádiva de sangue, triagem de dadores, colheita, análise, processamento, armazenamento e a disponibilização de sangue e componentes sanguíneos para transfusão hospitalar.

Quais os cuidados de saúde prestados e as áreas de atividade do Serviço de Medicina Transfusional

  • Colheita de Sangue a Dadores;
  • Consulta Externa;
  • Exames;
  • Hospital de Dia.

Horário de colheita

O processo de dádiva demora em média 30 minutos e pode ser realizado segundas, terças e quintas entre as 9h00 e as 15h00 e às quartas e sextas feiras entre as 9h00 e as 19h00.

 

Dar sangue

Dar sangue é um ato seguro e simples, durante a dádiva não existe nenhuma possibilidade de contrair qualquer doença. Para se ser dador de sangue basta ter entre 18 a 65 anos de idade, pesar mais de 50 quilos e hábitos de vida saudáveis.

Antes de efetuar a sua dádiva, um médico vai realizar uma entrevista confidencial, para avaliar as suas condições de saúde e descartar qualquer aspeto que o impeça de doar. O principal objetivo é preservar a saúde do dador e garantir uma transfusão segura para os doentes.

Na entrevista será realizado: um questionário médico, medição do pulso e tensão arterial, recolha de uma pequena gota de sangue (teste da hemoglobina) para exclusão de uma possível anemia.

Se não houver nenhuma contraindicação será aprovado como dador, caso contrário, poderá ser suspenso temporária ou definitivamente.

Em pouco mais de 10 minutos a sua dádiva terá finalizado. O volume de sangue extraído (450 ml) é recuperado duas horas após a colheita. No fim da colheita, deverá fazer uma refeição ligeira.

Poucos dias depois de ter realizado a sua dádiva, irá receber de forma confidencial, os resultados das análises efetuadas. Será informado e orientado clinicamente caso algum teste estiver alterado e/ou for positivo.

Lembre-se que a sua participação é voluntária, poderá decidir não dar sangue em qualquer altura do processo .

Antes da dádiva, o dador deve ter em contas as seguintes recomendações: tomar o pequeno-almoço, fazer uma ingestão de água e aguardar duas após o almoço.

 

Após a dádiva

O sangue não é administrado aos doentes tal e como se colhe. Para ser administrado, é submetido a um processo de separação, obtendo os seguintes componentes:

  • Glóbulos Vermelhos: têm como principal função transportar o oxigénio a todas as células do corpo. São utilizados principalmente em situações de anemia;
  • Plaquetas: utilizadas em doenças oncológicas e hematológicas, nos transplantes de medula óssea, etc., são fundamentais para parar uma hemorragia;
  • Plasma: contem, entre outras, as proteínas essenciais para a coagulação. É utilizado nas coagulopatias, nos grandes queimados, em doenças infecciosas.

Em todas as unidades de sangue colhidas são realizadas uma série de provas analíticas (para proteger os doentes):

  • Determinação do Grupo sanguíneo;
  • Pesquisa de vírus transmitidos pela transfusão, nomeadamente, os vírus da hepatite B e C, o VIH (vírus da Imunodeficiência Humana, responsável pelo SIDA) e HTLV;
  • Sífilis.

 

Algumas boas razões para dar sangue

  • Satisfação pessoal, por sentir que faz parte de um grupo saudável e altruísta da população que sabe ajudar quem mais precisa;
  • Resultados das análises clínicas em sua casa após a dádiva;
  • Aconselhamento médico se necessário;
  • Determinação do grupo sanguíneo;
  • Atribuição de cartão nacional de dador de sangue;
  • Parque automóvel reservado enquanto efetua a dádiva de sangue (basta contactar o segurança na entrada principal).

Equipa:

  • Dra. Maria Isabel Cunha, Diretor
  • Dra. Alexandra Santos, Administrador

Contactos:
Telefone: 212 727 255
E-mail: secretariado.imuno@hgo.min-saude.pt

Medicina Física e Reabilitação

Medicina Física e de Reabilitação é a especialidade médica que se dedica ao diagnóstico e tratamento de deficiências e incapacidades funcionais.

Quais os cuidados de saúde prestados e as áreas de atividade do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação?

  • Consulta Externa;
  • Técnicas Terapêuticas.

Para além da área assistencial, o Serviço desenvolve ainda atividades de formação pré e pós-graduada.

O Serviço de Medicina Física e de Reabilitação disponibiliza as seguintes consultas:

  • Consulta de Reabilitação Pediátrica;
  • Fisiatria;
  • Fisiatria – Acidente Vascular Cerebral;
  • Fisiatria – Incontinência Urinária;
  • Fisiatria – Mesoterapia;
  • Fisiatria – Consulta do Pé.

As consultas externas são solicitadas através dos Centros de Saúde/Unidades de Saúde Familiar (USF) por via eletrónica, médico assistente ou ainda por referenciação interna.

Equipa:

  • Dra. Maria Alda Silveira, Diretor de Serviço
  • Téc. Eduardo Ressurreição, Técnico Coordenador
  • Dr. António Martins, Administrador

 

Contactos:
Telefone: 212 724 222
E-mail: secretariado.mfr@hgo.min-saude.pt

Medicina Nuclear

Medicina Nuclear é a especialidade médica que se dedica ao diagnóstico e tratamento de doenças com recurso a produtos radioativos, permitindo sobretudo o estudo de alterações funcionais e moleculares.

Quais os cuidados de saúde prestados e as áreas de atividade do Serviço de Medicina Nuclear?

  • Exames;
  • Consultas

O Serviço de Medicina Nuclear do HGO tem como missão desenvolver a especialidade na área de influência da Instituição, assegurando cuidados de saúde e promovendo formação e investigação.

Desenvolve a sua atividade tendo em conta os seguintes valores: cultura de prestação de serviço público centrada no utente/doente; cultura de organização e liderança; cultura de eficiência e de efetividade; cultura de qualidade e de segurança; cultura de competência e rigor; cultura de equipa multidisciplinar; observância de deontologia e ética.

O Serviço iniciou a sua atividade em Fevereiro de 1997 e dispõe, presentemente, de uma câmara gama de duplo detetor e de uma sonda gama para uso per-operatório (cirurgia radioguiada).

Tem-se distinguido sobretudo pela sua colaboração ao estudo do Tromboembolismo Pulmonar, pelo diagnóstico em Pediatria e Nefrologia, pelo apoio à cirurgia radioguiada (gânglio sentinela e paratiroideia hiperfuncionante) e pela terapêutica de hipertiroidismo com o Iodo-131.

Participa nas Consultas de Decisão Terapêutica de Patologia Mamária, Melanoma Maligno da Pele e Patologia da Tiroideia.

O Serviço desenvolve igualmente as seguintes atividades:

  • Internato Complementar de Medicina Nuclear, tendo obtido idoneidade formativa em 1999;
  • Formação Pré e Pós-graduada em diversas áreas técnicas e científicas: acolhimento de estágios em colaboração com a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, o Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, a Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Portalegre, a Faculdade de Engenharia da Universidade Católica Portuguesa e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.
  • Formação Contínua: entre Fevereiro de 1998 e Maio de 2012, o Serviço organizou 7 Jornadas, 2 reuniões em colaboração com outros serviços do HGO e 1 Curso dirigido a Internos do Internato Complementar;
  • Atividade Científica: para além de participar e apresentar diversos trabalhos em Congressos Nacionais e Internacionais, integrou, entre 2003 e 2010, um Consórcio Nacional de Investigação, em conjunto com mais seis instituições da área científica e tecnológica. Este Consórcio desenvolveu um protótipo para Mamografia por Emissores de Positrões (ClearPEM), tendo sido o HGO responsável pela definição dos requisitos clínicos do protótipo e pelo desenho e preparação dos Ensaios Clínicos de validação. Em 2010, participou, em colaboração com o Serviço de Cardiologia, no Ensaio Clínico “Protection AMI – KAI 9803-004”. Integra o Projeto Dose Datamed2 Portugal, dedicado à avaliação da exposição da população portuguesa a radiações ionizantes, devido a exames médicos.

Equipa:

  • Dra. Ana Isabel Santos, Diretor de Serviço
  • Enf. Ana Lopes, Enfermeiro Chefe
  • Dr. António Martins, Administrador

 

Contactos:
Telefone: 212 726 856
E-mail: secretariado.mednuclear@hgo.min-saude.pt

Patologia Clínica

Patologia Clínica é a especialidade médica que complementa o diagnóstico clínico presuntivo de alterações do estado de saúde e/ou monitorização de terapêuticas, através de analises laboratoriais.

Quais os cuidados de saúde prestados e as áreas de atividade do Serviço de Patologia Clínica?

Exames Complementares Analíticos

O Serviço de Patologia Clínica do HGO tem como missão realizar exames complementares analíticos, vulgo análises clínicas, com garantia de fiabilidade e qualidade, à comunidade que recorre à instituição hospitalar, seguindo a boas práticas laboratoriais, contribuindo assim para os cuidados de saúde prestados.

Tem ainda como missão promover a formação de outros profissionais e envolver-se em parcerias de investigação, procurando corresponder às solicitações dos diferentes Serviços que compõem a vertente assistencial do Hospital e colaborar com outras entidades locais de saúde a nível dos cuidados primários e secundários.

Desenvolve a sua atividade tendo em conta os seguintes valores: prestação de serviço público; manutenção de equipa coesa e polivalente; preservação da garantia de qualidade; promoção da segurança; exigência de rigor e competência; organização e liderança partilhadas; observância da deontologia e da ética.

O Serviço encontra-se a desenvolver os seguintes projetos:

  • HosPoc – Sistema de gestão da qualidade dos testes Point of Care (PoC) do Hospital (tiras testes à cabeceira do doente), garantindo o controlo de qualidade de todos os processos e a normalização dos procedimentos, bem como a rastreabilidade dos equipamentos, reagentes, utilizadores e resultados. Além de possibilitar uma clarificação dos procedimentos de atuação, a introdução desta solução facilitará a correta identificação dos doentes durante todo o período de passagem pelo Hospital, vantagens em termos de economia de tempo e controlo de custos, contribuindo para melhores decisões e resultados clínicos. O HGO é pioneiro na introdução deste sistema em Portugal, que já se encontra implementado em cerca de 45 países com um total de 700 instalações;
  • EARSS (European Antimicrobian Resistance) – Projeto europeu de uso de “nova família” de antibióticos no âmbito de infeções no sangue (sepsis) e liquor (meningites);
  • ARSIP (Antimicrobian Resistance Surveillance Program) e Viriato – Projetos nacionais no estudo de antibióticos em infeções respiratórias a determinados microorganismos.

O Serviço de Patologia Clínica (SPC) está funcionalmente organizado em cinco grandes áreas que correspondem à clássica divisão de um SPC num Hospital com as carateristicas do HGO:

  • Laboratório de Bioquímica | Inclui química clínica, imunoquímica, endocrinologia, marcadores tumorais e alergologia.
  • Laboratório de Hematologia | Inclui hematologia geral, citomorfologia, hemostase e fibrinólise e imunofenotipagem celular.
  • Laboratório de Imunologia, Serologia e Biologia Molecular | Inclui imunologia celular e química, serologia bacteriana e viral e cargas virais.
  • Laboratório de Bacteriologia | Inclui microbiologia, micobacteriologia e micologia.
  • Laboratório de Urgência | Responde às solicitações de análises com indicação de execução imediata e que está integrado com parte do Lab de Bioquímica e de Hematologia num núcleo laboratorial denominado “LabCore”.

Equipa:

  • Dra. Olga Carreira, Diretor de Serviço
  • Dra. Alexandra Santos, Administrador
  • Téc. Ema Avô Fusco, Técnico Coordenador

 

Contactos:
Telefone: 212 727 261
E-mail: secretariado.patcli@hgo.min-saude.pt